Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Atas > Atas 2019 > Conselho Nacional de Saúde > CNS critica fragilização da Atenção Básica no Brasil em evento intergovernamental para desenvolvimento das nações
Início do conteúdo da página

CNS critica fragilização da Atenção Básica no Brasil em evento intergovernamental para desenvolvimento das nações

imagem sem descrição.

Encontro virtual teve como objetivo identificar aspectos gerais da Atenção Primária em Saúde (APS) relacionados à governança, financiamento condições de acesso e coordenação do cuidado

A conselheira nacional de saúde Priscilla Viégas representou o Conselho Nacional de Saúde (CNS), na sexta-feira (26/02), durante a reunião da Missão de Apuração Virtual da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O encontro virtual teve como objetivo identificar aspectos gerais da Atenção Primária em Saúde (APS) relacionados à governança, financiamento condições de acesso e coordenação do cuidado.

Com o tema “Estudo da OCDE sobre a Atenção Primária à Saúde no Brasil”, o encontro reuniu representantes do Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Na ocasião, a conselheira Priscilla Viégas denunciou as graves mudanças e retrocessos na Política Nacional de Atenção Básica em Saúde (Pnab), que ocorrem desde 2017, desconstruindo a lógica de cuidado baseada nos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS).

WhatsApp Image 2021 03 01 at 13.27.13 705x529

As mudanças incluem a possibilidade de retirada de Agentes Comunitários de Saúde (ACS) das equipes de saúde, de extinção dos Núcleos de Apoio a Saúde da Família (Nasf) e mudanças na forma de financiamento da Atenção Primária, o que tem sido uma das principais discussões realizadas pelo Controle Social.

“O Conselho Nacional de Saúde tem acúmulo em várias temáticas, já que entende a saúde como direito e na perspectiva da luta em defesa da proteção social ampla. Para discutir a importância da Atenção Básica na atenção à saúde de territórios e coletividades, contamos com comissões intersetoriais, Grupos de trabalho e Câmaras Técnicas, que podem contribuir também em demais debates que surjam”, afirmou Priscilla.

A conselheira nacional de saúde apresentou também a importância da pluralidade e diversidade para os debates, destacando que o Controle Social tem como principais eixos discutir, propor, acompanhar e deliberar sobre as políticas públicas de saúde.

O encontro virtual integra a agenda de reuniões da OCDE e Ministério da Saúde sobre o sistema de saúde no Brasil.

Ascom CNS

Foto: Recife.gov

Fim do conteúdo da página