Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Recomendações > RECOMENDAÇÃO Nº 027, DE 18 DE AGOSTO DE 2022

WhatsApp Image 2022 09 16 at 15.11.04

Início do conteúdo da página

 logocns

 

RECOMENDAÇÃO Nº 027, DE 18 DE AGOSTO DE 2022

 

Recomenda a rejeição pelo Supremo Tribunal Federal à Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 7222/2022, ajuizada em face dos dispositivos da Lei nº 14.434, de 04 de agosto de 2022.

 

O Plenário do Conselho Nacional de Saúde (CNS), em sua Trecentésima Trigésima Terceira Reunião Ordinária, realizada nos dias 17 e 18 de agosto de 2022, no uso de suas competências regimentais e atribuições conferidas pela Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990; pela Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990; pela Lei Complementar nº 141, de 13 de janeiro de 2012; pelo Decreto nº 5.839, de 11 de julho de 2006; cumprindo as disposições da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, da legislação brasileira correlata; e

Considerando que o Art. 1º da Constituição Federal de 1988 determina que a República Federativa do Brasil é formada pela união indissolúvel dos Estados, Municípios e do Distrito Federal e constitui-se em Estado Democrático de Direito, tendo como um de seus preceitos fundamentais os valores sociais do trabalho;

Considerando o disposto no Art. 7º, inciso V da Constituição Federal de 1988, que determina como direito dos trabalhadores rurais e urbanos, a garantia de um piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho;

Considerando que o Art. 37, inciso X da Constituição Federal de 1988 também determina, como direito dos servidores públicos e demais trabalhadores, a revisão salarial anual;

Considerando que a Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990, em seu Art. 4º, inciso VI determina a criação dos Planos de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) para os trabalhadores da saúde em todas as esferas e ainda prevê a penalidade de suspensão de recursos federais para os entes que não cumprirem a determinação da lei;

Considerando as Recomendações do CNS nº 18, de 26 de março de 2020; nº 20, de 07 de abril de 2020; nº 32, de 05 de maio de 2020; nº 33, de 05 de maio de 2020; nº 20, de 07 de abril de 2020 e nº 10, de 04 de maio de 2021, que tratam das garantias de segurança e saúde da trabalhadora e do trabalhador;

Considerando que a Lei nº 14.434, de 04 de agosto de 2022, que altera a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986, para instituir o piso salarial nacional do Enfermeiro, do Técnico de Enfermagem, do Auxiliar de Enfermagem e da Parteira, possui amparo na Emenda Constitucional nº 124/2022;

Considerando que EC nº 124/2022 determina que a lei que institui o referido piso salarial acima referido deverá ser observada por pessoas jurídicas de direito público e de direito privado;

Considerando que o Projeto de Lei (PL) nº 2564/2020, de autoria do Senador Fabiano Contarato (PT-ES), propõe originalmente um piso salarial de 7.315,00 reais para o enfermeiro, sendo 70% (setenta por cento) desse valor para o técnico de enfermagem e 50% (cinquenta por cento) para o auxiliar de enfermagem, também vinculado a jornada de 30h (trinta horas) semanais, e que para adequação financeira ao setor público e privado o referido projeto, em sua conversão para a Lei nº 14.434/2022, sofreu grande redução de valores e desvinculação da jornada de trabalho;

Considerando a Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) nº 7222/2022, com pedido de medida cautelar, ajuizada pela Confederação Nacional de Saúde (CNSaúde), em face dos dispositivos da Lei nº 14.434/2022, que trata do estabelecimento do Piso Salarial Nacional da Enfermagem;

Considerando a Fake News difamatória contra o Conselho Nacional de Saúde, disseminadas nas redes sociais, com ataques ao seu Presidente, Fernando Zasso Pigatto, sobre suposta ação do Conselho Nacional de Saúde junto ao STF para suspender a Lei do Piso Salarial da Enfermagem;

Considerando a Nota Pública das Organizações Nacionais da Enfermagem de Desagravo ao Conselho Nacional de Saúde e seu Presidente e Repúdio a disseminação de notícias falsas e caluniosas contra o Conselho, bem como de reconhecimento ao relevante trabalho da agenda permanente do Conselho Nacional de Saúde, em favor da conquista de políticas públicas de proteção e valorização do trabalho e das/os trabalhadoras/es de saúde e da enfermagem; e

Considerando a excelência do trabalho da Enfermagem Brasileira no enfrentamento da pandemia da Covid-19 no Brasil, que culminou com a perda de mais de 680 (seiscentas e oitenta) mil vidas, entre elas mais de 800 (oitocentos/as) trabalhadores(as) da enfermagem.

 

Recomenda

Aos (às) Ministros (as) do Supremo Tribunal Federal:

Que rejeitem a Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 7222/2022, com pedido de medida cautelar, ajuizada pela Confederação Nacional de Saúde, em face dos dispositivos da Lei nº 14.434/2022, que trata do estabelecimento do Piso Salarial Nacional da Enfermagem.

Plenário do Conselho Nacional de Saúde, em sua Trecentésima Trigésima Terceira Reunião Ordinária, realizada nos dias 17 e 18 de agosto de 2022.

Fim do conteúdo da página