Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Conselhos e entidades da saúde protestam em frente ao Congresso Nacional contra descaso do governo diante da Covid-19

banner sintomas coronavirus 1banner sintomas coronavirus 2banner sintomas coronavirus 3 
peticaoCNS v2

Início do conteúdo da página

Conselhos e entidades da saúde protestam em frente ao Congresso Nacional contra descaso do governo diante da Covid-19

  • Publicado: Terça, 06 de Abril de 2021, 14h49
  • Última atualização em Quinta, 08 de Abril de 2021, 14h51
Crédito/Foto: Fernanda Ferreira (ASCOM SindEnfermeiro)
Crédito/Foto: Fernanda Ferreira (ASCOM SindEnfermeiro)

O Conselho Nacional de Saúde (CNS), o Conselho de Saúde do Distrito Federal (CSDF) e entidades que atuam em defesa da saúde pública e pelo fortalecimento do SUS realizaram, nesta quarta-feira (7/04), um protesto em frente ao Congresso Nacional. O ato celebra o Dia Mundial da Saúde e homenageia os profissionais que estão na linha de frente do combate à pandemia.

O Brasil ultrapassou ontem (6/07) a marca de 337 mil vidas perdidas para a Covid-19 e está atingindo recordes de óbitos diários. “Celebramos o 7 de abril com uma mistura de sentimentos: tristeza pelos recordes que não gostaríamos de ter e ao mesmo tempo gratidão pelo SUS existir e pelos profissionais de saúde, que arriscam suas vidas para salvar tantas outras”, afirma a presidenta do Conselho de Saúde do DF, Jeovania Rodrigues.

Também participaram da manifestação o Sindicato dos Odontologistas do Distrito Federal e o Sindicato dos Enfermeiros DF. Com jalecos brancos e balões, os participantes estenderam o símbolo do Sistema Único de Saúde (SUS) no gramado e lembraram às milhares de vítimas contaminadas pela doença.

Diversos movimentos sociais da saúde se articulam em todas as regiões, durante o mês de abril, com atividades que levam a temática “Defender o SUS e defender a vida de todas as pessoas”.

“As atividades pretendem mobilizar toda a sociedade e reafirmar a saúde como direito. Queremos a vacinação pelo sistema público de saúde para toda população, orçamento adequado para o SUS, auxílio emergencial de, no mínimo R$ 600, a valorização dos profissionais de saúde e a garantia de direitos para nosso povo”, afirma o presidente do CNS, Fernando Pigatto.

Ascom CNS

registrado em:
Fim do conteúdo da página