Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > “Reduzir isolamento é crime contra a vida de trabalhadores e trabalhadoras”, afirma conselheira do CNS em live do CES/RS
Início do conteúdo da página

“Reduzir isolamento é crime contra a vida de trabalhadores e trabalhadoras”, afirma conselheira do CNS em live do CES/RS

  • Publicado: Quinta, 27 de Janeiro de 2022, 12h41
imagem sem descrição.

A portaria do governo federal que reduz o tempo de isolamento das trabalhadoras e trabalhadores em caso de contaminação pela Covid-19 foi considerada como um “crime” à classe trabalhadora pela conselheira nacional de Saúde e secretária de Saúde do Trabalhador da CUT, Madalena Margarida Silva. O assunto foi discutido em uma live, na noite desta terça (25/01), organizada pelo Conselho Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul (CES/RS). Madalena, que é integrante da mesa do Conselho Nacional de Saúde (CNS), manifestou preocupação com a decisão do governo.

“É muito difícil a situação da classe trabalhadora neste instante, uma vez que essa nova cepa contamina de forma muito mais rápida. Reduzir esse período de isolamento é um crime contra a vida de trabalhadores e trabalhadoras”, afirmou a conselheira.

Com a portaria, o período de isolamento caiu de 15 para 10 dias para os trabalhadores com casos confirmados, suspeitos ou que tiveram contato com pessoas com casos suspeitos da doença. Caso o empregado apresente resultado negativo em teste, o prazo de isolamento reduziu para sete dias. O período de sete dias também é válido para casos suspeitos em que o trabalhador não apresenta febre há 24 horas, não tome remédios antitérmico e apresente melhora de sintomas respiratórios.

Captura de tela 2022 01 26 101909

“Reduzir o tempo de isolamento, sem respaldo científico e sem um a política efetiva de testagem é bem característico desse governo. Uma perversidade pura, que coloca a vida dos trabalhadores em risco. Esse governo, desde o início da pandemia, criou dificuldades o tempo inteiro na gestão do enfrentamento à Covid-19”.

O presidente do CES/RS, Claudio Augustin, destacou que a falta de uma política de testagem em massa da população prejudica ainda mais o controle da doença.

“No momento, ainda é grave a situação e nós temos um crescimento assustador das pessoas com ômicron. Faltam testes e, muitas vezes, quando se consegue testes, demora para sair o resultado por falta de reagentes”, disse.

Foto: Gerd Altmann/Pixabay

Ascom/CNS

registrado em:
Fim do conteúdo da página