Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Fórum Social Mundial 2018: Bahia deve reunir 50 mil pessoas em defesa do SUS

17 CNS

Início do conteúdo da página

Fórum Social Mundial 2018: Bahia deve reunir 50 mil pessoas em defesa do SUS

  • Publicado: Sexta, 19 de Janeiro de 2018, 06h38

Diversas entidades e representantes dos movimentos sociais estão reunidos em Salvador nesta sexta (19/01) para discutir as ações do Fórum Social Mundial 2018, que vai trazer ativistas, pesquisadores e gestores de várias partes do mundo para debater uma agenda global de desenvolvimento.  O Conselho Nacional de Saúde (CNS) participa da reunião preparatória para o evento, que estima reunir 60 mil pessoas em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os conselheiros nacionais de saúde Nelcy Ferreira e Geordeci Menezes, além de Ronald dos Santos, presidente do CNS, e Neide Rodrigues, secretária executiva do CNS, participam da reunião. O evento internacional acontecerá de 13 a 17 de março, na capital baiana. O CNS coloca em debate as principais pautas diante dos recentes retrocessos nas políticas de saúde.

O evento, que é organizado coletivamente tem a expectativa de reunir cerca de 160 países diferentes. O CNS está preparando rodas de conversa, debates e palestras que vão acontecer nos espaços da Universidade Federal da Bahia (UFBA), enfatizando a importância do controle social para a democracia e para o desenvolvimento das políticas públicas.

Durante o evento internacional, será inaugurada a 16ª Conferência Nacional de Saúde, agendada para 2019 pela resolução nº 518 do CNS, mas sem data marcada. O objetivo é projetar para as várias nações um dos maiores eventos de participação social do Brasil. “Vamos mostrar para o mundo como funcionam as nossas conferências e processos participativos”, disse o presidente do CNS, Ronald dos Santos.

WhatsApp Image 2018-01-19 at 12.14.11

SUSe população negra

A Década Internacional dos Afrodescendentes (2015 a 2024), estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU), foi mencionada por Ubiraci Matildes de Jesus, que coordena o Fórum Nacional de Mulheres Negras. Ela destaca a necessidade de enfatizar os debates com recortes de gênero, raça e etnia na saúde. “A população negra está vulnerável no atendimento do SUS. O Fórum também precisa denunciar internacionalmente a ausência de políticas públicas para a população negra”, afirmou.

Nesse processo, para ela, articular movimentos sociais com o CNS é fundamental. “Com a participação do CNS na organização, vamos ter um avanço considerável na articulação com o poder público. Nós vamos juntar personalidades nacionais e internacionais para discutir temas importantes para a sociedade brasileira”, afirmou. O Fórum Social Mundial 2018 é aberto ao público. As inscrições acontecem em www.wsf2018.org.

Ascom CNS

WhatsApp Image 2018-01-19 at 12.14.11 (1)

registrado em:
Fim do conteúdo da página