Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Conferência Nacional de Saúde inovou na realização de atividades autogestionadas
Início do conteúdo da página

Conferência Nacional de Saúde inovou na realização de atividades autogestionadas

 Ao todo foram realizadas 31 oficinas com a temática da saúde relacionada à seguridade social, democracia, mulheres, população indígena, entre outros

  • Publicado: Sexta, 06 de Setembro de 2019, 17h06
  • Última atualização em Sexta, 06 de Setembro de 2019, 17h07
imagem sem descrição.

 A grande novidade da 16ª Conferência Nacional de Saúde, realizada de 4 a 7 de agosto deste ano, foi a realização de atividades autogestionadas, organizadas por movimentos e organizações populares e sindicais. As 31 atividades, que aconteceram simultaneamente aos trabalhos dos grupos, foram bem avaliadas pelos participantes. Os relatórios de todas as atividades autogestionadas devem ser enviados pelas entidades ao Conselho Nacional de Saúde (CNS). A Comissão de Relatoria vai organizar e sistematizar as informações que serão divulgadas no Relatório Final da Conferência, em outubro.

Entre as atividades relatadas à Comissão de Relatoria, duas oficinas do Centro de Educação e Assessoramento Popular (CEAP). A primeira teve como tema: Saúde e Democracia. A atividade foi uma proposição conjunta com a Plataforma DHESCA Brasil e a Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político. O debate centrou em torno da relação do SUS com a Democracia.

A segunda oficina teve como tema: Saúde, Assistência, Previdência: a garantia de proteção social no Brasil. A deputada federal, Jandira Feghali, foi uma das palestrantes da oficina. A proposição desta oficina foi em parceria com a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG) e a União Brasileira de Mulheres (UBM).

ceap 3

As oficinas dialogaram com temáticas bem diversas como saúde e seguridade social, saúde e democracia, saúde e mulher, saúde e população indígena, saúde e controle social, saúde e trabalho entre outros temas. “A amplitude dos temas discutidos é um aspecto que deve ser avaliado de forma positiva, o que não necessariamente ocorre nos grupos de trabalho devido à necessidade de centrar o debate na saúde”, avaliou Valdevir Both, representante do CEAP.

Para o CEAP a experiência inovadora da Conferência Nacional foi muito positiva ao aproximar o debate da saúde com outros temas e ao oportunizar aos participantes outros debates além dos grupos de trabalho. “As salas cheias das oficinas autogestionadas indicam que essa experiência deve ser consolidada nas próximas edições”, finalizou Valdevir.

ceap 2

 

Envie o relatório da atividade autogestionada para relatoria16cns@saude.gov.br

registrado em:
Fim do conteúdo da página