Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias - Informes > “Políticos querem comprar votos com a saúde dos brasileiros”, diz nota de entidade do CNS

WhatsApp Image 2020 02 14 at 13.22.56

Início do conteúdo da página

“Políticos querem comprar votos com a saúde dos brasileiros”, diz nota de entidade do CNS

Publicado: Sexta, 13 de Dezembro de 2019, 17h53 | Última atualização em Sexta, 13 de Dezembro de 2019, 17h54

O plenário do Conselho Nacional de Saúde (CNS) aprovou, na última sexta (06/12), uma recomendação para a devolução de R$ 500 milhões para a Saúde. O valor foi remanejado do Fundo Nacional de Saúde de 2020 para aumentar a programação do Fundo Eleitoral. O documento do CNS é direcionado ao presidente do Congresso Nacional, Davi Alcolumbre, para quem recomenda ainda o debate com os deputados federais e senadores para avaliarem o Projeto de Lei Orçamentária 2020, de modo a identificar os órgãos orçamentários do Poder Executivo.

Com o intuito de também pressionar o parlamento brasileiro, o Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sindusfarma), entidade que compõe o CNS, publicou uma Nota Pública onde demanda que o Congresso Nacional devolva à pasta da Saúde o dinheiro que foi realocado para o Fundo Eleitoral. Leia abaixo a nota na íntegra.

Políticos querem comprar votos com a saúde dos brasileiros

Diante das notórias dificuldades que o Brasil enfrenta na prestação de serviços essenciais à população, como saúde, educação e segurança, e do recente congelamento das verbas da saúde, entre outras áreas, causa perplexidade a proposta de deputados e senadores de retirar mais de R$ 500 milhões do orçamento do Ministério da Saúde para engordar o fundo eleitoral de financiamento das campanhas municipais no próximo ano.

Em que país vivem os nobres parlamentares? Aparentemente, não no país dos postos superlotados do SUS; não no dos bairros com esgoto a céu aberto; não no das comunidades amedrontadas com a violência que aterroriza seu cotidiano; não no país das filas de milhões de desempregados.

Não, a sociedade brasileira não pode aceitar que o Congresso Nacional considere, seriamente, a hipótese de desviar para campanhas político-eleitorais as escassas verbas disponíveis para oferecer um mínimo de dignidade ao povo brasileiro, especialmente nas ações de atenção básica à saúde.

O Sindusfarma exorta o Congresso Nacional a desistir dessa iniciativa corporativista e nociva aos interesses do país. Nobres parlamentares, pensem no Brasil!

Fonte da Nota Pública: Sindusfarma

Foto: Congresso em Foco – Uol

Ascom CNS

registrado em:
Fim do conteúdo da página