Home Links Úteis Fale Conosco

O CONSELHO
Apresentação
Histórico
Composição
Estrutura Organizacional
Regimento Interno
img Fluxo de trabalho
Comissões
Expediente
 
ATOS NORMATIVOS
img Resoluções
Recomendações
Moções
Legislação
 
REUNIÕES DO CONSELHO
Calendário
Pauta
Atas
 
BIBLIOTECA
Revista
Informativos
Livros
Relatórios
 
EVENTOS DE SAÚDE
 
PLENÁRIA DE CONSELHOS
 

Brasília, 14 de setembro de 2011




Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil é apresentado ao Pleno do CNS

 

 

foto

            Câncer, infarto, hipertensão arterial e diabetes estão entre as principais causas de morte de cerca de 70% da população brasileira. As patologias fazem parte do quadro de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) e que apresentaram crescimento nos últimos anos devido às transições epidemiológica, demográfica e nutricional no Brasil.

 

            A informação faz parte do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil 2011-2022 apresentada na manhã desta quarta-feira (14), durante a 225ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Saúde, pela representante da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), Deborah Malta.

 

            O plano define políticas públicas, programas, metas e investimentos estratégicos para o enfrentamento das DCNT no país nos próximos anos. Entre alguns objetivos nacionais estabelecidos estão: reduzir a mortalidade prematura (menor que 70 anos) em 2% ao ano; aumentar a cobertura de exames preventivos de câncer como a mamografia em mulheres com idades entre 50 e 69 anos; deter o crescimento da obesidade em adultos e crianças; entre outros pontos. De acordo com Deborah Malta, o plano foi construído com base em eixos orientadores voltados para a vigilância e monitoramento, promoção da saúde e cuidado integral.

  foto

 

            Ainda segundo Malta, o documento será apresentado na reunião das Nações Unidas (ONU) no próximo dia 19 de setembro para debater a importância do tema das DCNT no alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, principalmente, no que diz respeito à

redução da pobreza e das inequidades no mundo. “Hoje em dia é um consenso internacional que é preciso atuar fortemente para intervenção de fatores de risco das doenças crônicas não transmissíveis como tabagismo e obesidade”, disse.

 

            A representante da SVS ressaltou também que as propostas previstas no plano são voltadas para atingir desde crianças até idosos. “A prevenção é ao longo da vida. Quanto mais precoce, mais oportuna é a possibilidade de redução de desenvolvimento dessas doenças e por isso os programas também estão voltados para as escolas e para dentro das famílias”, apontou.

 

            O presidente do CNS, ministro Alexandre Padilha, e os conselheiros nacionais ratificaram ao final a necessidade de orientar os conselhos a monitorarem a efetivação das ações do plano nos âmbitos estaduais e municipais.

 

 

Voltar 
 

Assessoria de Comunicação do CNS
Fone: (61) 3315-2150/2151

Fax: (61) 3315-2414/2472
e-mail: comunicacns@saude.gov.br
Site: http://www.conselho.saude.gov.br

 

Conselho Nacional de Saúde - "Efetivando o Controle Social".
Esplanada dos Ministérios, Bloco “G” - Edifício Anexo, Ala “B” - 1º andar - Sala 103B - 70058-900 - Brasília, DF

I