Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > CNS cobra medidas efetivas para aquisição de medicamentos do kit intubação

banner sintomas coronavirus 1banner sintomas coronavirus 2banner sintomas coronavirus 3 
peticaoCNS v2

Início do conteúdo da página

CNS cobra medidas efetivas para aquisição de medicamentos do kit intubação

  • Publicado: Segunda, 12 de Abril de 2021, 16h27
  • Última atualização em Terça, 13 de Abril de 2021, 17h04
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Entre as ações recomendadas está a articulação com os organismos internacionais para aquisições no mercado mundial

O Conselho Nacional de Saúde (CNS) pediu ao Ministério da Saúde, em recomendação publicada no dia 7 de abril, a implementação de ações efetivas, em caráter excepcional e temporário, para aquisição de medicamentos do kit intubação. Entre as ações recomendadas, está a articulação com os organismos internacionais para aquisições no mercado mundial.

O CNS pede que seja informada a cada quinze dias sobre a situação detalhada dos procedimentos adotados e de abastecimento em âmbito nacional e estadual dos medicamentos para Intubação Orotraqueal (IOT). O colegiado também cobra medidas que viabilizem os estoques de oxigênio hospitalar, como a aquisição ou contratação de usinas para produção de oxigênio.

O documento aprovado pelo CNS também é direcionado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para que oriente os gestores públicos à denunciarem preços abusivos praticados na comercialização dos medicamentos em geral, especialmente aqueles relacionados aos procedimentos de intubação prioritários durante a tratamento da Covid-19 no âmbito hospitalar.

Aos conselhos de saúde dos municípios, estados e Distrito Federal o CNS recomenda que se estabeleça procedimentos para acompanhamento e monitoramento da situação de abastecimento dos medicamentos para intubação e oferta de oxigênio nos hospitais públicos e privados.

O documento considera a necessidade de “coordenação nacional única e ordenada para execução de ações urgentes, que perpassa por uma rede colaborativa nas três instâncias de governo, com fluxos responsáveis e sem viés ideológico ou político partidário diante da crise humanitária existente”.

LEIA A RECOMENDAÇÃO NA ÍNTEGRA

Ascom CNS

registrado em:
Fim do conteúdo da página