Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Eleições municipais e desinformação são destaques em reunião da Coordenação de Plenária dos Conselhos de Saúde

4CNGTES ETAPAS Final novo

Início do conteúdo da página

Eleições municipais e desinformação são destaques em reunião da Coordenação de Plenária dos Conselhos de Saúde

  • Publicado: Terça, 14 de Maio de 2024, 14h45
Conselheiras e conselheiros de todo o país se reuniram em Brasília para analisar os desafios do controle social do SUS em 2024
imagem sem descrição.

As Plenárias de Conselhos de Saúde foram criadas por deliberação do 1º Congresso Nacional de Conselhos de Saúde, em abril de 1995. Seu objetivo é promover a relação dos Conselhos de Saúde com a esfera nacional na perspectiva de fortalecer a participação popular no Sistema Único de Saúde (SUS).

Já a Coordenação de Plenária Nacional de Conselhos de Saúde, estabelecida em 1997, surgiu com a finalidade de fazer um intercâmbio entre os conselhos municipais, estaduais, distrital e nacional, bem como contribuir no encaminhamento das lutas pelo fortalecimento do SUS e do controle social.

Seguindo este propósito, o CNS reuniu conselheiras e conselheiros de saúde que são coordenadores de plenária para uma série de atividades em Brasília, durante os dias 6 e 7 de maio.  Representantes de conselhos estaduais e municipais do Amapá, Amazonas, Maranhão, Rio Grande do Norte, Piauí, Paraíba, Ceará, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e Rondônia estiveram presentes.

eleicoesmunicipaismateria

A proposta do encontro foi debater pautas sanitárias importantes diante uma análise de conjuntura que destacou, dentre outros temas, as eleições municipais, as comunidades terapêuticas, a precarização do trabalho, o orçamento federal para a saúde, a saúde indígena e os impactos das atuais condições climáticas e os desastres ambientais.

A correlação de forças no controle social e a dinâmica política que movimenta o controle social do SUS também foi abordado entre os presentes.  “Se a gente repetir, nas eleições municipais, o perfil do Congresso Nacional, a vida das pessoas estará em risco, especialmente as populações mais vulnerabilizadas”, declarou Eliana Cruz, pesquisadora que já integrou o CNS e conduziu a análise de conjuntura durante o encontro com os coordenadores de plenária.

eleicoesmunicipaismateria1

Mauri Bezerra, conselheiro nacional de saúde que também comandou  a reunião, reforçou a relação entre os conselhos, as eleições municipais e o papel que as mídias sociais desenvolveram e continuam desenvolvendo nas campanhas políticas.  “Precisamos entender o papel das mídias sociais nas eleições, e como o campo democrático pode utilizar dessas mídias para fazermos também uma boa campanha”, apontou.

A integração entre redes sociais e eleições municipais também deve ser observada sob a perspectiva da população negra, especialmente da parcela mais jovem, acredita Wésia Nogueira de Sena, coordenadora de plenária do Rio Grande do Norte.

eleicoesmunicipaismateria2

“Precisamos dar visibilidade e pautar este recorte racial. Há uma grande tentativa de forjar invisibilidade e nós somos tratados como minoria, mas somos a maioria.  Devemos compreender como a comunicação, especialmente as redes sociais, devem ser utilizadas para dialogar com o povo, fazendo com o que o voto seja um voto em defesa do SUS”, declarou.

A conselheira ainda reforça o desafio que é estabelecer um bom fluxo de comunicação e diálogo entre essas declaradas “minorias” e os candidatos que se apresentarão no processo eleitoral deste ano.  “Vai ser muito difícil dialogar com essas pessoas que hoje se colocam como pré-candidatas, o que vai dificultar muito a nossa caminhada até 2026.  O SUS, em 2024, precisa pautar a democracia. Não podemos desistir de ter um SUS público universal e gratuito para todas e para todas e o envolvimento e formação da juventude nos movimentos sociais é essencial neste processo”, finalizou.

Ascom/CNS

registrado em:
Fim do conteúdo da página